quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Aplicativo Bonuz aumenta as vendas em troca de ofertas no varejo físico

Com mais de 100 mil usuários em média por mês, plataforma pretende empoderar os franqueados e revolucionar o setor, que sofre com a redução das vendas no PDV


Levar a tecnologia e a experiência do consumidor, que são marcas do comércio digital, para o varejo físico, aposentando os velhos cartões de fidelidade em papel. Essa é a proposta do Bonuz, aplicativo de conexão e que oferece fidelização, criado pela empresa de tecnologia e inovação SumOne, que atende marcas e estabelecimentos de food service, além de impactar diretamente o consumidor final. Por meio da solução, o cliente pode usufruir de ofertas dessas redes e em troca, disponibiliza as informações estratégicas sobre o seu consumo. Disponível nos sistemas Android e iOS, o app é gratuito e foi adotado em 20 marcas e 1,5 mil estabelecimentos nacionais do ramo da alimentação, como o Subway, a maior rede de fast food mundial. O Bonuz já conseguiu aumentar em até 70% a frequência de visita do consumidor aos estabelecimentos parceiros. 

Presente em todos os Estados brasileiros, a SumOne tem como clientes, além da Subway e da Pizza Hut, no Rio de Janeiro, outras redes nacionais, como Spoleto, Giraffas, Megamatte e Koni. O Bonuz é o maior programa de fidelidade para o food service no Brasil e a meta é chegar em 7 mil pontos de venda até 2018. “Já alcançamos resultados bastante significativos com os nossos clientes: um ROI de 15 vezes o valor do investimento, o que significa sete vezes mais que as ações tradicionais no varejo físico, e um aumento de 36% no ticket médio. Isso é muito importante, ainda mais para um setor que, no ano passado, registrou uma redução de 6,8% no fluxo de pessoas no PDV”, afirma Marvio Alencar, cofundador e diretor da SumOne. 

Como funciona

Para usufruir os benefícios do Bonuz, o usuário deve baixar o aplicativo gratuitamente para sistemas Android ou iOS, se cadastrar ou logar com o Facebook. A ideia é que, da mesma forma do cartão fidelidade de papel, o usuário passe a acumular selos, como uma forma de pontuação online. Ao fazer a compra em uma loja física, o consumidor tira a foto do cupom fiscal e recebe um selo na “cartela”. Depois de acumular seis selos, é possível escolher uma oferta disponível pelo estabelecimento e retirá-la presencialmente na loja física. 

Cada marca tem sua “cartela” específica e a sua própria política de funcionamento. Assim, a cada compra que o usuário fizer em qualquer loja do Spoleto, por exemplo, ele envia o cupom e junta os selos. Quando atingir a quantidade mínima para poder resgatar uma oferta, ele pode fazer o resgate em qualquer uma das lojas da mesma marca. A validade dos selos, geralmente, é de 60 dias e para algumas marcas específicas, são 90 dias.

Já as franqueadoras de food service pagam uma mensalidade fixa pelo produto e o estabelecimento franqueado fica responsável por uma taxa variável, dependendo das interações do usuário com as marcas. Dessa forma, as franquias passam a fazer parte do programa de fidelidade em conjunto com as outras lojas inscritas. Em contrapartida, há um investimento da franqueadora em setup tecnológico e em consultoria inicial para formatação das mecânicas de fidelidade, definição de estratégia de marketing, treinamento e onboarding dos estabelecimentos parceiros. 

História

A idealização do Bonuz começou em 2013, a partir do desejo de Marvio Alencar — empresário com experiência executiva em empresas, como Souza Cruz e Coca-Cola, em áreas ligadas ao trade marketing, varejo físico e marketing de marcas — de transformar a experiência do usuário no varejo físico. Em setembro do mesmo ano, o empresário criou o protótipo inicial do Bonuz e começou os testes. 

Em 2015, os sócios Lucas Prim, Carlos Eduardo Souza e Paulo Hashimoto, fundadores do Kimitachi/Gokoni, entraram para agregar o conhecimento de negócios digitais, técnico e tecnológico da experiência do usuário à iniciativa. “Diferentemente do varejo online, as lojas físicas não trabalhavam com a experiência do consumidor, não sabem quem eles são, do que gostam ou não gostam. Não há um canal de comunicação e o relacionamento necessário para uma boa gestão”, comenta Prim, cofundador e CEO da empresa. 

Em meados do mesmo ano, surgiu a SumOne. De lá para cá, o modelo de negócio foi revisto, a empresa investiu no Bonuz e no aplicativo correlato, o Companion, e conseguiu se consolidar entre os maiores players do mercado.

Novidade: o Companion

Em junho de 2016, a SumOne lançou uma solução complementar ao Bonuz, mas voltada ao segmento B2B, para facilitar o acompanhamento de resultados por parte das marcas. “O Companion é o coração da proposta de trabalho da nossa empresa”, declara o CEO. Por meio do aplicativo, a loja acessa informações coletadas via Bonuz em tempo real, como a quantidade de clientes que usam o aplicativo por estabelecimento, cupons recebidos, recompensas trocadas e feedbacks dos consumidores. O objetivo é que os dados auxiliem os estabelecimentos a serem mais assertivos e ágeis nas decisões estratégicas dos negócios. 

A SumOne

A SumOne é uma empresa de tecnologia e inovação focada em levar resultados para seus parceiros com conexão entre marcas e clientes por meio de relações “ganha-ganha”. As soluções atendem, inicialmente, o varejo físico, especificamente o food service. A empresa, que tem sede operacional em Florianópolis (SC) e sede comercial no Rio de Janeiro (RJ) , é responsável pelo desenvolvimento do Bonuz, seu principal produto - voltando ao consumidor final - e do Companion - produto correlato e B2B. Entre os 20 clientes, estão redes como a Subway, maior empresa de fast-food do mundo, Giraffas, Spoleto, Koni e Megamatte. Até o início de agosto, eram 1,5 mil estabelecimentos participantes e a meta é alcançar 7 mil pontos de venda até 2018. Em maio de 2016, a empresa recebeu aporte do fundo Cventures Primus, no valor de R$ 3 milhões.

Via Dialetto
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...